A Bola Dourada – Poema

0
1848

Lindo poema sobre a lei do equilibrio entre pais e filhos. Já que um filho nunca poderá retribuir aos pais a vida recebida.

A BOLA DOURADA
“O que recebi pelo amor de meu pai
eu não lhe paguei,
pois, em criança, ignorava o valor do dom,
e quando me tornei homem,
endureci como todo homem.

Agora vejo crescer meu filho,
a quem amo tanto.
Como nenhum coração de pai se apegou a um filho.
E o que antes recebi
estou pagando agora a quem não me deu nem vai me retribuir.

Pois quando ele for homem
e pensar como os homens, seguirá, como eu, os seus próprios caminhos.

Com saudade, mas sem ciúme,
eu o verei pagar ao meu neto o que me era devido.

Na sucessão dos tempos meu olhar assiste,
comovido e contente,
o jogo da vida: cada um com um sorriso,
lança adiante a bola dourada,
e a bola dourada nunca é devolvida!”

Poema de Borries von Munchhausen

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.